terça-feira, 21 de novembro de 2017

Clube literário tem início em São Petersburgo


Hoje, na presença de Cristiano Alves, autor do blog Russificando, Bela Yevloyeva, professora de literatura e do cineasta e jornalista Dmitriy Tyotkin, teve início o clube literário Knijniy Prospekt (Avenida dos livros). O projeto, iniciativa de Cristiano, visa apresentar e discutir a biografia e as obras de autores que marcaram diferentes épocas da literatura russa.

A literatura russa é considerada universal, seus autores são considerados uma referência em todo o mundo, alguns ainda pouco conhecidos no Brasil, como por exemplo Bulgákov, muito lido na Rússia. O objetivo do projeto é aumentar o interesse na literatura russa, abstrair lições de seus clássicos e fomentar o interesse na língua russa. O projeto contou com a participação de leitores do Brasil, Rússia, México e suscitou o interesse de uma leitora dos Estados Unidos, todos unidos por algo em comum, a grande língua russa!

 






segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Disparo de teste de míssil nuclear intercontinental russo provoca incrível efeito

Nessa semana, um fotógrafo que "caçava" a aurora boreal na região de Tomsk capturou um enorme efeito estranho na atmosfera. Segundo foi esclarecido pelas agências de notícia russas e entrangeiras, tratou-se do efeito provocado pelo lançamento de um Míssil Balístico Intercontinental (ICBM) K-119 Voronyej, em teste feito pelas forças armadas da Rússia. O efeito teve grande visibilidade e chamou a atenção de observadores internacionais, levando a crer que se tratava de um OVNI em certas regiões do planeta. 
A foto foi registrada no dia 26 de outubro às 22:13 da noite pelo fotógrafo Aleksey Yakovlyev.
A Rússia utiliza a energia nuclear para fins pacíficos, incluindo a defesa da integridade de seu território de proporções continentais, jamais tendo efetivado qualquer ataque nuclear contra seres humanos e Estados soberanos. As Forças Armadas da Federação Russa são pequenas se comparadas ao tamanho de seu território e de sua população.
Um míssil nuclear intercontinental é considerado o mais poderoso armamento militar existente, podendo acabar com uma megalópole inteira em questão de segundos.

Fotos: Aleksey Yakovlyev

Image may contain: night, sky and outdoor


Image may contain: night, sky and text

Image may contain: sky and text

Foto feita a partir da República da Karelya às 19:05:

"El pais" promove histeria racista contra a Rússia

Версия на русском языке

Muitas pessoas na Rússia, conquanto são demasiado bondosas, abertas para estrangeiros, infelizmente são demasiado ingênuos com relação a certas questões. Assim, conquanto ouvem comentários meus desfavoráveis ao Ocidente, rapidamente tomam uma posição defensiva (em relação ao ocidente), "ele foi afetado pelo pensamento russo" dizem, ou algum outro absurdo. Sabemos que no Brasil, se uma pessoa, por exemplo, escreve um artigo falso sobre a história de um estado como por exemplo o Piauí, é completamente normal e mesmo louvável que um piauiense defenda o seu estado e mesmo tome uma posição defensiva, comentários agressivos e falsos sobre o Piauí podem levar ao cancelamento de um espetáculo teatral protagonizado por um ator global. O mesmo podemos dizer do Rio Grande do Sul, se uma pessoa ofende a história e as tradições gaúchas, provavelmente um gaúcho irá mostrar completa reprovação. O mesmo me sinto no direito de fazer quanto à história e o povo da Rússia, país que desde muito tempo faz parte não só do meu imaginário, como da minha vida pessoal, física, intelectual e do meu sistema de valores.

O jornalismo ocidental é sujo e despresível, antissoviético e por isso russófobo*. Encontro por acaso um artigo sobre "Garotas russas que estouravam os miolos dos nazistas" (título do artigo), tudo bem, então leio o artigo e "graças" a uma certa Lyuba Vinogradova (a propósito, segundo o artigo, ajudante do russófobo fervoroso Anthony Beevor), lemos sobre o suposto fato de que "mulheres no Exército Vermelho terem lutado em duas frentes, contra os fascistas e o assédio de seus camaradas, que frequentemente estavam bêbados", assim como também sobre "frequentemente serem chamadas de prostitutas ou de mulheres machos ao voltarem do front".

Curiosamente, já assisti a mais de 10 diferentes documentários e li dezenas de citações de mulheres que estiveram no front, lá não há nenhum testemunho disso.

Isto é, para os propagandistas ocidentais não basta dizer que "os soldados vermelhos estupraram alemãs", como dizer também que os "soldados vermelhos estupraram as suas próprias mulheres".  Isso nós encontramos logo no primeiro parágrafo em português claro, justo no primeiro parágrafo, para preparar psicologicamente o leitor para que ele pense que essas bravas mulheres não lutavam pela URSS, pela Pátria e por Stalin, pelos seus ideais, mas "só por si mesmas".

Assim, eles criam um título chamativo, afinal, ninguém com discernimento gosta de nazistas, assim, o "clickbait" funciona, levando o leitor a digerir uma gama de propaganda que joga lama no passado do país e do Exército que destruiu a maior força racista da história e plantou a bandeira da vitória na cidade de Berlim.

*Russófobo: de "russofobia", sentimento nacional ou irracional histérico contra tudo aquilo que vem da Rússia. A russofobia não conhece forma política, podendo se manifestar contra uma monarquia ou república russa, contra um governo socialista ou capitalista. Conquanto a Rússia é um empecilho para o "caminho para o Oriente" ocidental, o país deve ser sempre apresentado de forma negativa, somente forças cisionistas, separatistas ou de oposição podem ser retratadas de forma positiva.

No Facebook

Acompanhe as melhores fotos do blog Russificando em nossa versão no Facebook, nas páginas "Russificando" e "Guia de São Petersburgo". Em nossas páginas você pode encontrar informações e dados de contato para excursões, fotografia e consultoria em São Petersburgo e outras cidades russas.

Guia de São Petersburgo: https://www.facebook.com/guiaspb/

Russificando: https://www.facebook.com/russificando/

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Filmagens de fotógrafo brasileiro surpeendem na Rússia



Marcus Mesquita trocou a vida de gerente de banco no Mato Grosso para viver uma nova vida na Rússia e trazer sangue novo, com novas ideias e projetos, como deixa transparecer um dos seus trabalhos. A filmagem retrata o épico lugar conhecido como "A estrada da vida", onde se deram as mais sangrentas batalhas para impedir Leningrado de ser ocupada pelas hordas alemãs, espanholas, finlandesas e outras do III Reich nazista.


quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Canal Russificando

Você sabia que temos um canal transmitido em português, russo e em breve em inglês?

Visite o nosso canal RUSSIFICANDO no Youtube!