domingo, 11 de janeiro de 2015

Na Rússia ninguém é preso por ser brasileiro



Por que algumas pessoas tem medo de ir à Rússia? Essa semana uma conhecida me disse como tinha "medo da Rússia", segundo ela o motivo era "por causa do Exército". Quando ouço esse tipo de comentários, tento encontrar uma explicação para esse tipo de contradição.

Os grandes escritores russos eram todos "do Exército", militares, sendo Dostoyevskiy e Tolstoy exemplos clássicos disso, todavia não entendo como pessoas que gostam de escritores militares tem "medo do Exército Russo". O fato é que o medo supostamente depende de uma justificativa, algo dê motivo para que alguém tenha aversão a algo, por exemplo, na infância se afogou, então se torna hidrofóbico, na juventude caiu de um lugar muito alto, por isso se torna acrófobo, etc. Jamais ouvi falar de qualquer brasileiro que "foi preso ou sofreu qualquer tipo de pressão pelo Exército Russo", pelo contrário, conheço um brasileiro que se tornou cossaco no Leste da Ucrânia e é muito bem tratado por milicianos oriundos da Rússia e da Ucrânia, assim como conheço um brasileiro que até conheceu um general em Moscou.

Ao contrário deste tratamento, entretanto, são constantes as queixas de brasileiros que estiveram em países como Portugal, Espanha e principalmente no Reino Unido. Os fatos estão aí para confirmar, a imigração espanhola deteve uma senhora de 77 anos no aeroporto internacional de Madri, isso mesmo, não se tratava de um "jovem parecido com traficante", de uma "jovem parecida com uma prostituta" (uma opinião compartilhada por parte da sociedade daquele país). O luxo que o governo da Espanha oferecia para a dona Dionísia Rosa no aeroporto de Madri era um banco de madeira e uma cama de arames, isso para uma senhora que já teve derrames e problema na coluna. Alguém pode se indignar com isso, mas lembre-se, os policiais espanhóis estavam "apenas seguindo ordens" (alguém já percebeu como pessoas que cometem atos crueis e desumanos sempre dão a desculpa de estarem "apenas seguindo ordens"?). Ah, não deve se esquecido que os espanhóis riam bastante da pobre idosa de 77 anos. 

Se alguém acha que isso é acontece apenas a "marinheiros de primeira viagem", relato a situação pela qual passou uma eminente colega de trabalho minha, cujo nome prefiro manter no anonimato. Embora seja mãe de dois filhos e tivesse emprego fixo na Alemanha, fluente na língua alemã, como os seus dois filhos, ao tentar entrar no Reino Unido para fazer um curso de inglês, mesmo mostrando todos os motivos e apresentando os documentos ela foi presa pela imigração britânica durante dois dias no aeroporto, em uma cela de péssimas condições. Caso alguém ache que se trata de "um caso isolado", devo lembrar ao leitor que o Reino Unido é o país que mais prende brasileiros na imigração, segundo o jornal Folha de São Paulo! Os brasileiros são seguidos pelos mexicanos e americanos, que representam 4% dos detidos, e pelos turcos (3%).

E se alguém acha que pode ser algum problema de comunicação, muitos brasileiros também se queixam da forma como são tratados em Portugal. Uma prima do autor desse texto, casada com um pintor francês, se queixou do tratamento humilhante e do preconceito constante recebido na terra lusa. Desconheço que tipo de educação é dada aos lusos, mas é bem comum ver, por exemplo, no site de vídeos Youtube comentários racistas dos portugueses, onde frequentemente se referem aos brasileiros como "corja de pretos".

E o grande ponto desse texto é, por que com tantos países onde os brasileiros são odiados e hostilizados logo na porta de entrada, isto é, o setor de imigração, tanta gente tem "medo da Rússia"? "Medo de Putin"? Deveriam sim ter medo da Rainha Elizabeth II, da Inglaterra, de Portugal, do Rei Juan Carlos, da Espanha, da União Europeia talvez (respeitando o tratamento respeitoso dado por países como a Alemanha, Suíça e outros). Essa russofobia precisa acabar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário