segunda-feira, 27 de junho de 2016

As Velas Escarlates de São Petersburgo

"Sobre a mesa ninguém tem demasiado, pelo mérito, cada um é recompensado", já dizia uma famosa canção soviética da época de Stalin. Esses versos descrevem exatamente o festival petersburguense conhecido como "Velas escarlates" (Alye Parussá), quando a Rússia recompensa o mérito dos seus estudantes.

Certa vez, no Brasil, um candidato fanfarrão prometeu comprar uma "viagem para a Disney", para os estudantes secundaristas que atingissem as melhores notas. Ao contrário da incapacidade de criar algo novo e original, ainda na época da União Soviética foi criado um famoso festival para celebrar o mérito dos estudantes secundaristas concluintes, as "Velas escarlates" (Alye Parussá). O festival, conforme acusam inúmeros cartões postais, é um símbolo da cidade de São Petersburgo. Nele, um barco com velas escarlates navega o rio Nevá, que ostenta as suas pontes abertas desde as 18:00 da noite. Ele coincide a cada cano com o primeiro sábado do momento mais intenso das "noites brancas". Uma grande salva de fogos de artifícios é disparada de tal modo, que por uns instantes o Descobridor da Rússia pensou estar no meio da barragem de artilharia de uma guerra. Se havia sol em plenas 12:30 da noite, com a salva de fogos de artifícios, ele parecia ainda mais brilhante e iluminado.

Mais uma vez víamos o metrô parecendo um formigueiro, gente brotando de diferentes estações. O entusiasmo dos presentes no evento era notável, em sua maioria adolescentes. Toda a costa do rio Nevá parecia ter cada milímetro cúbico preenchido, mais de 100 mil espectadores. Flagramos o momento em que alguns aventureiros escalavam pelo menos 5 metros nos postes da rua, pois a grande massa dificultava a vista para os fogos de artifício e o barco que estava por vir. Outro participante resolveu brincar de "Assassin's creed", escalando quase 20 metros de um prédio usando a calha metálica e os espaços da parede. Pelo seu feito ele foi aplaudido pelo público, apesar do considerável risco.

Durante o festival não verificamos nenhum tipo de algazarra ou briga, após ele os jovens seguiram para o campo de marte, para cantar, beber e conversar. Por volta das 03:00 da manhã, percebemos 5 brigas, 4 delas terminando com as pazes entre os seus participantes, 1 delas terminando separadas por outros espectadores. Para nós latino-americanos, uma cena praticamente impensável para o nosso sangue quente.

Muitos criticam o festival pelos gastos com a pirotécnica, que de fato excede a do dia 9 de maio, mas o grande número de participantes russos de diferentes cidades nos mostra que essa tradição certamente atrai pessoas de todas as partes da Rússia, como nos confirmou Kristina, jovem moscovita que pela primeira vez visitava São Petersburgo com a sua mãe, com ela vimos tivemos uma visão privilegiada, após escalar a janela de um prédio público, da qual outros russos assistiam a passagem do barco a velas.

As velas escarlates são um símbolo do respeito e da consideração russa pelos estudantes secundaristas que atingem as melhores notas, que pelas ruas da Rússia podem ser visto vestindo seus ternos elegantes e garotas que parecem princesas, com uma faixa que até lembra uma faixa presidencial, símbolo da consideração pelo mérito na Rússia. Quantas vezes ouvimos falar que na época soviética não era tomado em conta o mérito pessoal? A tradição que vem dos tempos soviéticos e toda a grande festa realizada nos mostra exatamente o contrário!
A vista do céu da noite branca, por volta das 00:15 e o "Homem-Aranha" russo

Aguardando os fogos e a passagem do barco com suas velas escarlates

O céu noturno por volta da meia noite e um prédio no horizonte. É preciso fazer amizade com quem quer que more ou trabalhe lá!

A passagem tão esperada do barco das velas escarlates
Salvo de fogos ilumina a paisagem noturna de São Petersburgo (foto da internet)

2 comentários:

  1. Cristiano, obrigada pela tua generosidade em compartilhar teu vasto conhecimento sobre a Rússia, sou tua fã...

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela generosidade de compartilhar conosco teu vasto conhecimento sobre a Rússia,
    Grande abraço
    Claire

    ResponderExcluir